Antes de qualquer coisa, eu tenho duas ressalvas. A primeira é a de que pode ser que esse texto tenha spoilers e a segunda é de que é uma teoria. Pode ser verdade ou não. Então trate sempre com desconfiança. Bora.

Conforme se aproxima a Star Wars Celebration, que esse ano será em Orlando, na Flórida, mais algumas novidades vão pintando sobre Star Wars – Episódio VIII – Os Últimos Jedi. Inclusive o comentário geral é o de que teremos um trailer lançado por lá, na convenção.

Muito que bem, parece que com isso algumas informações vão sendo divulgadas, outras vão escapando. Uma dessas dá conta de que nós teremos três planetas bem conhecidos dos fãs, de volta em Episódio VIII e/ou Episódio IX. Isso seria uma informação qualquer, talvez até irrelevante, não tivesse ela ligada diretamente ao desenvolvimento de um (ou mais) personagens importantes para a história. Como nós não temos nenhum detalhe sobre a trama em si, então por enquanto todas as teorias estão aí na mesa, embora ninguém possa afirmar categoricamente como essa informação se encaixa no todo. Por favor, também não saia gritando quais planetas estarão, para não estragar a surpresa para quem quer ser surpreendido.

Minha opinião é a de que sim, é muito possível que todos os três estejam no filme. Seja no presente, seja em flashbacks da Força. Os planetas são Tatooine, Endor e Mustafar, não necessariamente nessa ordem. Agora vou explicar o porquê:

Tatooine

Um planeta árido, desértico, pequeno, afastado vai voltar ao foco novamente. É natural que esse planeta esteja presente em algum ponto da trilogia pela importância. Inclusive pode ser que ele já tenha aparecido, durante o flashback. O planeta poderia ter sido a sede do Templo Jedi do Luke que a gente vê pegando fogo.

Faria muito sentido que o Luke voltasse para o seu planeta-natal para treinar uma nova geração de Jedi. O crime deve ter dado uma afundada após a morte de Jabba, ele já viveu uma boa parte da vida, Obi-Wan deve ter deixado algumas coisas para trás e tal. Mas mais importante: É um planeta afastado e no meio do nada, bom lugar para reconstruir a ordem com calma e tranquilidade. Também é um lugar de importância sentimental para Ben Solo, afinal é onde nasceu o seu avô.

Endor

Segunda parada: Lua Florestal de Endor. Essa já dá pra ter uma ideia bem melhor do porquê esse planeta provavelmente reaparecerá na saga. Endor está diretamente ligado à jornada pessoal de Kylo Ren e do arco do personagem, na busca por descobrir mais sobre Darth Vader.

Como foi mostrado em O Despertar da Força, Kylo tem uma obsessão nada saudável pelo seu avô, mas não é só isso. Ele está tentado replicar o modelo do que foi a figura de Vader, portanto, procurando por todo tipo de artefatos ligados ao seu avô e aos Sith de maneira geral. Isso deve fazer parte da explicação do porquê ele não ter completado seu treinamento, mas ainda sim estar servindo Snoke por o que, uns dez anos? Talvez ele ache que perseguir o passado e suas origens fosse mais importante do que atingir o seu potencial como usuário da Força.

Eu tenho quase certeza de que essa volta a Endor é para vermos Kylo Ren recuperando o capacete chamuscado do Vader. Eu ainda acrescento que gostaria de ver ele trucidando uns Ewoks pelo caminho. Claro que ainda tem os Acólitos do Além, presentes nos livros Marcas da Guerra e Bloodlines, que compraram e contrabandearam todo tipo de artefato Sith. Então pode ser que alguém tenha vendido o capacete a ele, e sabe se lá mais o quê. Ou talvez ainda tenham restado objetos e relíquias escondidas em Endor, que não foram mostradas.

Mustafar

AHÁ! Finja surpresa! Mesmo não estando presente na Trilogia Original, se a teoria aqui é real, Mustafar é a última parada nessa lista. E já esteve presente em Rogue One, mesmo que o nome não tenha aparecido, é lá mesmo que fica o castelo de Vader.

Essa especulação passa pela ideia de que a Lucasfilm está adotando a mesma tática da Marvel, com filmes que tem ligações aparentemente inocentes, mas que vão construindo todo um universo e preparando o terreno para o futuro. Mas Mustafar e o castelo de Vader não estavam ali de graça, ainda mais por que foi a única locação a aparecer sem uma descrição. Todos os outros mostraram o nome.

Seria bem foda uma bela luta Rey x Kylo Ren no saguão do castelo, ou Luke x Kylo, depois de ele derrotar a Rey. Talvez Luke já tenha visitado esse planeta em algum momento e isso pode ter a ver com entender o porquê da traição de Kylo Ren, ou entender o Lado Negro da Força.

E você aí achando que as escolhas foram aleatórias né? Vou te provocar, perguntando o que você acha que esses três planetas tem em comum? Porquê não Coruscant, ou mais Jakku? Eu não posso afirmar que esses planetas também não vão aparecer, mas Endor Tatooine e Mustafar tem uma razão muito forte para aparecer. E é aí que entra a teoria.

Senta que lá vem teoria

O que une os três planetas? Sendo direto e reto: Kylo Ren e Darth Vader. Esssa obssessão de Kylo com o avô, torna tudo muito óbvio. Mas olhando mais de perto tem outra coisa que esses três planetas tem em comum: Luke Skywalker.

Tá, meio óbvio também você pode dizer. Mas apesar de tudo Luke também fez essa jornada pela galáxia para descobrir mais sobre o Lado Negro e entrar em contato com ele, assim como Kylo fez e faz uma busca pelo legado de seu avô. Inclusive, no Despertar da Força, o Han Solo menciona a busca de Luke pelos conceitos da Força.

Então beleza, temos um elemento que pode ser um spoiler grande se você considerar que tudo isso faz parte da trama da nova trilogia, mas depende de como isso será abordado em Os Últimos Jedi.

 

Enquanto a obsessão de Kylo Ren com os Sith e o Lado Negro o levou de volta a lugares de importância para o Vovô Vader, ou seja, os locais onde ele nasceu, renasceu do fogo e foi finalmente cremado – mas aparentemente temos aí um paralelo bem intressante compartilhado por ambos os arcos de personagem. Luke claramente teve sua fé na Força abalada, por conta dos eventos que culminaram na fuga de Kylo e na destruição da Nova Ordem. Além de perder o trabalho de uma vida e ser traído por um parente que até então era uma pessoa querida para ele, ele ainda encontrou com alguma coisa relacionada aos Jedi que fez com que ele questionasse tudo que ele ACHAVA que sabia sobre os caminhos da Força. Muito provavelmente os artefatos que ele encontrou ou redescobriu estavam tão alterados ou desviados do seu propósito que talvez nem pudessem mais ser considerados artefatos Jedi.

Quando encontrarmos Luke Skywalker em Episódio VIII, talvez encontremos alguém que se questiona e questiona todos os ensinamentos de Obi-Wan, Yoda e Anakin e que sente como se tivesse seguido um caminho Jedi que deixou toda a sua vida em ruínas. Eu acho que não foi o fato de esconderem a verdade sobre a família que afastou Ben Solo da luz, transformando ele em um psicopata capaz de matar o próprio pai. Seja lá qual for a descoberta de Luke, que levou a essa crise espiritual, pode ser a causa real do afastamento de Ben, virando as costas para os Jedi e assumindo seu lugar como líder dos Cavaleiros de Ren, direto pro Snoke. De repente o próprio Snoke foi responsável por trazer o segredo à tona.

Seja lá qual for a tragédia ou desilusão, Luke não é um desistente. Ele ainda acredita em uma Ordem Jedi, mas ao mesmo tempo ele pensa que a Ordem como a conhecemos era falha e precisava de mudanças. Recuperando o conhecimento, as práticas e a filosofia do início da ordem, com os Antigos Jedi, talvez seja a resposta para reabilitar a Ordem. Luke não abandonou a galáxia, ou o seu compromisso como um Jedi. Talvez ele queira justamente entender melhor o que significa essa enorme responsabilidade. A Ordem foi uma das grandes responsáveis pela sua própria queda com ideologias ambíguas e moralmente questionáveis as vezes. Voltar às origens pode ser a chave para formar uma nova geração de Jedi.

O olhar de arrependimento de Luke para Rey, ao invés de alegria quer dizer muita coisa. Ele sabe que a galáxia precisa dos Jedi, mas não tem certeza do que significa ser um, muito menos como guiar alguém por esse caminho. Dessa forma, Luke é mesmo o último dos antigos Jedi e esperamos que seja o primeiro dos novos, se ele e a Rey conseguirem trazer equilíbrio para a Força.

Um dos grandes temas de George Lucas nas suas ideias de uma nova trilogia como ele concebeu nos anos 80 era de que a história teria muitas decisões moralmente ambíguas e seria essencial separar o certo do errado. Se o caminho realmente for esse, temos aí o arco de Luke Skywalker realmente indo pra frente. Ele vai ter que se confrontar com os erros do passado, consertar e como um professor, passar adiante o que ele aprendeu, consertando os erros que tiraram a Ordem Jedi do caminho original.

Na novelização de O Despertar da Força tem um poema bem no começo que indica alguma coisa nesse sentido, pode ser uma dica:

 

“First comes the day
Then comes the night.
After the darkness
Shines through the light.
The difference, they say,
Is only made right
By the resolving of gray
Through refined Jedi sight.”
Journal of the Whills, 7:477

Dia e noite são a República e o Império, e a luz eventualmente vai triunfar sobre a escuridão após o Império. Mas não diz aí em lugar nenhum que a escuridão acaba com a queda do Império, apenas que ela virá. Então isso pode significar que após a derrota da Primeira Ordem e com a ascensão dos Novos Jedi, fiéis aos propósitos iniciais, aí sim a escuridão estaria verdadeiramente derrotada. Mas tudo isso depende de Luke tomar as decisões corretas e consertar os erros antes de seguir em frente.

Teoria interessante não? Vocês não tem ideia da minha ansiedade pra ver qualquer mínima notícia sobre Episódio VIII. A gente vai saber em breve de algumas coisas, que certamente serão divulgadas durante a Celebration, mas espero que essa teoria ajude um pouco com a ansiedade de vocês.

E aí, o que vocês acham dela? Deixe aí nos comentários.

 

 

Deixe uma resposta