Hoje, sábado, 10, foi dada a largada para a maior feira de games do mundo. Sim, amigos, eu estou falando da E3 2017. A mega feira que acontece todo ano na cidade de Los Angeles tem como protagonistas empresas como Eletronic Arts (EA), Ubisoft, Bethesda e, é claro, Microsoft e Sony.

No dia de hoje, as 16h, aconteceu a primeira conferência da feira, a EA Play. A empresa mostrou todas as suas garras quando o assunto é lançamento de games. Foi uma conferência bem dinâmica, que cobriu desde os games de esportes, famosos da empresa, até novas IPs.

 

Vamos aos jogos, então.

 

Jogos Esportivos

Madden ‘18

O primeiro jogo mostrado pela empresa, foi o Madden ’18. A conferência começou com uma espécie de Olodum americano, onde algumas pessoas estavam vestidas como jogadores do New England Patriots, atual campeão da NFL, fazendo uma batucada…. um tanto quanto tímida! Mas todo esse carnaval tinha um bom motivo para ter acontecido. Visto o sucesso que o modo história de FIFA ’17 fez no ano passado, a empresa resolveu portar o estilo de jogo para o mais popular dos jogos de futebol americano.

Além disso, a empresa mostrou, é claro, um pouco dos gráficos do jogo, e destacaram muito o quanto o jogo está bonito no Scorpio, projeto de Microsoft a ser anunciado.

Fifa ‘18

Taí um jogo que a gente espera em TODA E3. Eu gosto de FIFA, de verdade, mas não compro desde o FIFA 15. Devido à sua tamanha popularidade, é claro que a empresa não ia deixar esse jogo de fora da sua conferência. Ainda mais com o peso que a capa da próxima edição terá. Cristiano Ronaldo, CR7, será o grande astro do próximo FIFA. E não podia ser diferente, afinal o gajo está ganhando tudo o que disputa. Nos últimos dois anos, que eu lembro, foram DUAS Champions League, um Campeonato Espanhol, e a inédita Eurocopa com a seleção de Portugal.

E ah, anunciaram que a história de Alex Hunter terá continuação no FIFA ’18, tamanho sucesso feito no ano anterior. Sucesso esse que deu origem ao modo história que eu falei ali em cima.

NBA Live 18

Talvez o jogo mais tímido da tríade de esportes da EA. Ofuscado pelo sucesso da série NBA 2k, a EA ainda sai atrás quando falamos de jogos de basquete. E a apresentação do jogo foi bem tímida também, tendo em vista que o último lançamento foi o NBA Live 16. Um replay, sim, REPLAY, mostrando uma jogada de LeBron James (Cleveland Cavaliers) contra Kevin Durant (Golden State Warriors) foi mostrado para que nos desse uma idéia de como o jogo está. E foi isso. Assim fica complicado, EA….

Nova IP

A Way Out

Quando falaram no palco, “a brand new IP”, o pessoal se empolgou muito. E não foi pra menos. A Way Out, dos mesmos criadores de Brothers: A Tale Of Two Sons, empolgou com o trailer mostrado. Sob o selo EA Originals, e previsto para 2018, o jogo traz uma narrativa exclusivamente co-op e em split-screen, onde encarnaremos Leo e Vincent, dois homens que planejam sair da prisão.

O jogo permite ser jogado localmente ou online, mas lembre-se que será sempre em tela dividida e co-op. Quem controla Leo, sempre terá, na outra tela, a visão de Vincent, e vice-versa.

Corrida

Need For Speed: Payback

Já tem algum tempo que o pessoal pede por um Need For Speed que traga de volta a essência do tunning, do racha, e o ar de Velozes e Furiosos que vivemos na série Underground, do mito, da lenda, PlayStation 2. Esse sentimento veio de volta quando a EA anunciou o reboot, em Need For Speed, um jogo simplesmente lindo, que saiu no fim de 2015.

E agora não foi diferente. Need For Speed: Payback, ou “o troco”, se você for traduzir, foi anunciado com um trailer muito divertido. O jogo mostra gráficos absurdamente lindos, mas mais do que isso, ele traz elementos de um dos melhores jogos de corrida de todos: Burnout.

Pra quem nunca jogou Burnout, vou explicar brevemente: Quando você está no meio de uma corrida, você pode dar um takedown em um inimgo, que nada mais é do que quando você “inutiliza” o inimigo momentaneamente. Se você está emparelhado com ele, e consegue fazer ele bater de frente com um poste, uma animação em câmera lenta vai mostrar isso, indicando que foi um takedown. Ah, olha o trailer, vai:

FPS

Battlefield 1 – DLC

Eu não gosto muito de jogos FPS, principalmente quando o tema é guerra. Até por isso já discuti com diversas pessoas o porquê eu preferir alguns Call Of Duty ao Battlefield. Eu realmente prefiro algo mais futurista e puxado pro arcade, do que algo de equipe, e pensado pra ser jogado taticamente como Battlefield 1. Mas não da para negar que o jogo é divertido e que fez sucesso.

E a EA sabe disso. Sabe tanto que resolveu reservar alguns minutos da sua conferência na E3 para falar dos DLCs que sairão para o jogo. Focado no desenvolvimento de novos mapas, dois mapas noturnos foram anunciados, o que promete levar a tensão das batalhas para outro nível. Além disso, a expansão The Name Of The Tsar foi anunciada e a EA resolveu levar a guerra para o leste europeu, trazendo novas fases ambientadas no frio russo, também conhecido, na Segunda Guerra Mundial, como General Frio. Um novo esquadrão chamado “Batalhão de Morte das Mulheres” também foi mostrado.

Star Wars: Battlefront II

Ok, vamos falar de Star Wars: Battlefront II. Muita gente já estava esperando por esse lançamento, visto o hype que o primeiro volume fez. Mas o hype do primeiro volume, no meu ver, era só fogo de palha. Em 1 mês, ninguém mais ligava praquele jogo. A EA coletou o feedback, parafraseando o CEO, “tanto os positivos, quando os construtivos”, para não dizer “negativos”, para que levassem o jogo a um outro nível.

Muito se falou de novos mapas, principalmente da trilogia prequel, trazendo de volta aquele feeling do Battlefront II, de 2005. Fato é que o jogo está muito bonito, e a batalha que acontece em Theed, do Episódio I, é simplesmente incrível de se assistir. Pode ser implicância minha? Pode, mas eu não vi nada de muito diferente do jogo anterior. Foi falado do modo singleplayer, mas a demonstração inteira foi focada no multiplayer. E sério, Multiplayer por Multiplayer eu já tinha jogado no Battlefront I. Claro, eu estou sendo extremamente genérico aqui, falando apenas do que vi na demonstração, mas eu tenho certeza que a empresa fez muito mais, na questão da mecânica e jogabilidade, para corrigir todos os erros que Battlefront I cometia.

Classes foram introduzidas no jogo, como nos Battlefront originais. Se você pegar, por exemplo, a classe Officer, terá um papel muito mais suporte do que de combate, onde irá atuar mais na reabilitação e nas melhorias dos seus companheiros, do que no pelotão de frente.

A possibilidade de customização é muito maior quando comparado ao jogo anterior, e isso era uma das maiores reclamações dos jogadores, e novos heróis foram introduzidos no jogo, como Rey e Kylo Ren.

Vou dizer que não estou muito empolgado, mas isso é bom, visto que a expectativa é o monstro que vive debaixo da nossa cama e pode nos pegar a qualquer momento, e nos fazer ter uma decepção daquelas.

E a E3 vai em frente. Hoje, as 18h, teremos a conferência da Microsoft, onde provavelmente veremos o anuncio do Scorpio, console versão 4K do Xbox, e mais outras coisas.

Não esqueça de me seguir no Twitter e no Instagram.
Acompanhe o ProcrastiNATION nas redes sociais, no Twitter e no Facebook.

About The Author

Formado em Ciência da Computação pela Universidade Anhembi Morumbi, sou um nerd. Tenho uma queda pelos produtos da Apple e seus serviços. Adoro ficar jogando video-game, nerdiando pelo computador, seja nas interwebs ou programando quando necessário. Possuo em meu arsenal nerd: MacBook Pro, iPhone, iPad, PS4, e Xbox 360.

Related Posts

Deixe uma resposta