George Lucas. Um dos principais responsáveis por eu ser um nerd hoje. Você pode gostar ou não de Star Wars, mas você tem que reconhecer que ele tem um lugar na história do mundo. O cara praticamente criou o filme Blockbuster que estréia no verão americano, foi responsável por criar o merchandising e o mercado de produtos licenciados de filmes como conhecemos hoje. E claro, criou Star Wars, que tem uma legião (mesmo, é gigante) de fãs. Há gerações.

Eu mesmo tenho uma ~relação~ de amor e ódio com ele. Amor porque ele criou a saga original de Star Wars, que resultou nesse universo imenso, rico e cheio de personagens. E ódio por que de 1999 pra frente, ele começou a fazer um monte de cagadas (olá Episódios I, II e III, estou olhando para vocês). Mas sabiamente ele passou o legado adiante e agora tá em boas mãos (hello Disney!).

Mas aí, pra provar que apesar de meio gagá, ele ainda sabe fazer as coisas, ao receber uma carta de um fã-mirim, ele se convenceu a fazer uma mudança pequena, mas bem significativa no cânone de Star Wars.

Ou seja, um garotinho de sete anos conseguiu o que milhares de fãs nunca conseguiram (fosse qual fosse o motivo). E aí a equipe da LucasFilme deu uma alteradinha nas regras do universo de Star Wars.

Colin, o fã-mirim em questão esperava se tornar um Cavaleiro Jedi quando ficasse mais velho, mas ao mesmo tempo queria se casar e formar uma nova família. Aí entra o problema, se casar e constituir família é algo proibido pela Ordem Jedi. Mais ou menos como um padre católico. Inclusive isso é uma boa parte do plot que vemos em Episódio II – O Ataque dos Clones  e em Episódio III – A Vingança dos Sith.

Os pais do garoto até tentaram, dizendo que ele deveria “se tornar um novo tipo de Jedi” ou até mesmo que parasse de assistir aos filmes novos e assistisse apenas a saga clássica (esse conselho até que não é ruim, menino Colin tentar deveria). Mas mesmo assim, bem insatisfeito, o menino resolveu mandar uma carta para George Lucas himself.

885x1180-640-2-20150609161037

 

Caso você esteja com preguiça:

“Caro George Lucas

Eu não gosto que um Jedi não pode se casar. Eu quero me casar sem me tornar um Sith. Por favor mude a regra.

PS: Eu quero ir ao Rancho Skywalker, por favor.

Amor, Colin.”

Como é de praxe com empresas como a Lucasfilm e a Disney, que ainda recebem cartas, por incrível que pareça e por mais incrível ainda que pareça respondem, menino Colin recebeu a seguinte resposta:

885x664-640-1-20150609161049

 

Caso você ainda esteja com preguiça, tá aí a tradução:

“Olá Colin,

Obrigado por nos escrever com essa pergunta. Parece que a Força é forte em você, e você está mostrando uma grande sabedoria com essa pergunta. Ser um Jedi é entender de verdade o valor da amizade, compaixão e lealdade, e esses são valores importantes em um casamento. Os Sith só olham para dentro, apenas para si mesmos. Quando você encontrar alguém com quem você possa se ligar de uma forma generosa, então você estará no caminho da luz, e o lado negro não poderá te controlar. Com essa bondade no seu coração, você pode se casar.

Enviamos alguns presentes que esperamos que você goste. Obrigado mais uma vez por escrever para nós.

Que a Força esteja com você!

Sinceramente,

Seus amigos na Lucasfilm.”

Além da benção de George Lucas, Colin ainda ganhou livros, quadrinhos e brinquedos da saga Star Wars:

885x592-640-20150609161121

A carta não deixa bem claro se todos os Jedi podem, se é retroativo, ou se só o Colin vai conseguir. De qualquer maneira, se você quiser mudar alguma regra de Star Wars, tá fácil, manda uma carta para o Colin e ele encaminha pro George Lucas. Só não esquece de pedir pra ele encaminhar esses presentes maneiros pra você, caso seu pedido também seja respondido assim.

 

E aqui um vídeo com a reação do Colin ao ler a carta e abrir o pacote:

PS – Eu tenho umas coisinhas pra mandar pra ele também, acho que preciso falar com o Colin!

 

Deixe uma resposta