Eu sei o que você pensou ao ler o título. E não, não tem nada a ver com o Curioso Caso de Benjamin Button, embora também seja bem curioso o que tem sido feito de Steve Rogers nos quadrinhos.

Eu sei também que você pode pensar, à primeira vista, que eu sou um fã chatão de quadrinhos, que não lida bem com mudanças. Mas o que estão fazendo com o Capitão América, beira a sacanagem.

Se você é um fiel leitor de quadrinhos, esteja avisado, spoilers à frente.

Semana passada, a internet foi tomada pela polêmica. Junto com o lançamento da nova HQ Capitain America: Steve Rogers, veio uma mudança que altera profundamente o status quo do personagem. Steve Rogers é um agente da HYDRA. Hail Hydra! E aí você me pergunta: COMO ASSIM MANO?

Mudanças chocantes fazem parte das HQs, é do jogo e eu consigo entender isso. Homem-Aranha e Homem de Ferro recentemente se transformaram em “Superiores”. Homem de Ferro passou por um momento “Se eu fosse você” com o Caveira Vermelha e se manteve com os efeitos da troca de personalidade, mudou de armadura, mudou pra São Francisco e foi lá causar na vida da população com o app Extremis. Homem-Aranha viveu um filme digno de Sessão da Tarde pelas mãos do roteirista Dan Slott e trocou de corpo com o Dr. Octopus, que se tornou o Homem-Aranha Superior, que eu devo confessar aqui que não quis ler quando saiu por puro preconceito e depois comprei a encadernada e até achei divertido.

Quando Slott veio com esse conceito e as notícias começaram a pipocar pela internet, rolou um ataque de pelancas semelhante da galera, mas no final acabou se tornando um arco divertido, longe de ser o pior que já fizeram com o pobre Peter Parker.

E isso nem é coisa exclusiva, nos quadrinhos, como um todo, faz parte. O Thor já foi um cara estranhíssimo com cara de cavalo, o Venom, vira e mexe sofre alguma mudança tensa, o Justiceiro já foi anjo, Wolverine já perdeu o Adamantium e até o Cap já virou lobisomem. Os estúdios aproveitam a mudança duas vezes. Vendem na mudança polêmica e vendem quando tudo volta ao normal. Então, assim como todos os outros casos, deve ser questão de tempo.

Mas aí entra um problema. A Marvel depois da fase foda do Capitão, com roteiros do Ed Brubaker, tem feito muitas mudanças seguidas no personagem, consequentemente tornando a coisa toda muito mais sem graça que o Capitão nos cinemas.

captain-america-hydra-agent

Olha só a novela mexicana que a vida do personagem se tornou: Ao final de Guerra Civil Steve Rogers foi assassinado. Mas ele não simplesmente morreu, sua alma se perdeu através do tempo, ressucitaram o cara e ele se tornou Diretor da SHIELD. Depois passou a comandar uma equipe Black Ops, os Vingadores Secretos, voltou a ser o Capitão. Na sequência foi jogado em uma dimensão paralela, com o cientista maluco, Arnim Zola e ficou por lá um BOM tempo. Adotou o filho (?) do Zola, conseguiu voltar para a Terra, foi enganado pelos Illuminati, arrancaram o soro do supersoldado dele, envelheceu e passou a ser um velho ranzinza de bengala. O manto de Capitão foi para o Falcão, Sam Wilson, passou (novamente) por outras Guerras Secretas, rejuvenesceu outra vez, recuperou os poderes, tudo graças à versão humana do Cubo Cósmico e voltou a ser o Capitão, porém de escudo novo. Entendem o problema?

Desde a fase do Ed Brubaker, o Capitão simplesmente não foi o Capitão América.

Eu preciso ser sincero. O primeiro filme do Capitão não é lá grandes coisas. Mas o Capitão América dos cinemas é um Capitão foda. Mais que isso, a direção dada para o personagem no cinema é foda. Era muito fácil escolher o caminho de mostrá-lo só como aquele escoteiro, chatão, que é essencialmente um velho preso em um corpo jovem. E o Capitão do Cinema foi pra um outro caminho. Um personagem que tem a coragem e a liderança no sangue, segue um ideal e não abaixa a cabeça, mesmo que para o governo, como foi o caso em O Soldado Invernal. O Capitão do Chris Evans representa o povo Americano, não o governo, a SHIELD ou seja lá quem for. Isso é a essência do personagem. Quando ela é mantida, não importa a mídia, esse personagem provavelmente dará certo.

Ao contrário das HQs, que o status quo do personagem é alterado e ninguém tem tempo de se habituar a mudança, nem ele mesmo. Enquanto Rogers perdeu os poderes e a vitalidade, se tornando um velho, a Marvel trouxe uma nova personalidade, tornando o personagem ranzinza e reacionário, quase um Bolsonaro, basicamente um escroto, um imbecil. Eu não perdi meu tempo lendo essa fase, mas imagino o quão insuportável deva ter sido para quem gosta do personagem. Eu sei que eu gosto e isso não é nem de perto a essência do personagem.

c2ipghfqiurm5gvhbnxm

Essa essência no entanto, pode ser encontrada no Falcão. Apesar de serem personagens diferentes, com backgrounds diferentes, está tudo lá. Ele é o Capitão América na essência. Um defensor dos ideais e da liberdade do povo americano acima de tudo. Aquela chama de esperança de alguém que sempre vai em frente lutando pela justiça, não importa o tamanho do obstáculo.

Não que um velho ranzinza e escroto não seja também a imagem dos EUA de uma certa forma. Tanto Sam Wilson quanto Steve Rogers talvez representem facetas do mesmo povo, mas a Marvel podia aquietar o faixo e parar com essas jogadinhas pra vender gibi e devolver o Capitão ao seu status quo, deixar pelo menos por um tempo, pra todos poderem curtir um Capitão tão legal nos quadrinhos, quanto ele é no cinema.

 

Deixe uma resposta