A terceira edição da CCXP – Comic Con Experience encerrou a programação do Auditório Cinemark em alto estilo, com um pacotão de novidades da Netflix. Estiveram presentes os protagonistas de “Shadowhunters” e “3%”, Brian J. Smith (Will Gorski), Miguel Ángel Silvestre (Lito Rodriguez) e Tina Desai (Kala), de “Sense 8”, e Neil Patrick Harris, astro de “Desventuras em Série”, que estreia em 13 janeiro.

Superpainel da Netflix com diversos convidados, material nunca visto antes e estréias. FOTOS: Daniel Deak

Superpainel da Netflix com diversos convidados, material nunca visto antes e estréias. FOTOS: Daniel Deak

Harris, notável pelo papel de Barney Stinson em “How I Met Your Mother”, falou sobre o lançamento, no qual interpreta o papel do malévolo Conde Olaf, prometendo easter eggs, números musicais e muitas surpresas. Harris comparou a série com o filme de 2004, com Jim Carrey: “Nossa versão é mais sombria, assim como os livros, enquanto o filme tem um tom mais de comédia”, disse. O ator também comentou sobre o polêmico final de “HIMYM”, que o agradou. “Gostei de como terminou, teve um roteiro maduro e condizente com a personalidade do Barney”, disse Neil, que gravou um vídeo da plateia.

ddk_9284-1

Superpainel da Netflix com diversos convidados, material nunca visto antes e estréias. FOTOS: Daniel Deak

Além de “Desventuras” com trailer exclusivo, o painel contou com conteúdo de “Punho de Ferro”, “The AO” e “Star Trek Discovery”, além da confirmação das segundas temporadas de “Luke Cage” e “3%”. Esta, inclusive, pegou os próprios atores de surpresa. Bianca Comparato, Rodolfo Valente, Michel Gomes, Rafael Lozano, Viviane Porto e Veneza Oliveira não esperavam era que, após os pedidos de “renova, renova” do público, era que ele fosse concretizado tão rápido: o VP de marketing na América Latina Vinny Lozato invadiu o painel e confirmou a boa notícia.

Parte do elenco principal de Sense 8 foi ao palco após uma cena inédita e exclusiva da segunda temporada. Entre os pontos principais, o elenco ressaltou o trabalho excepcional de Lana Wachowki, além de pontos como viagens a diferentes locações para filmar, cuidados com a saúde, além de lembranças da gravação. “A Parada Gay, que nós visitamos no início do ano, foi um dos momentos mais marcante da minha vida”, revelou Miguel sob aplausos. Por fim, o ator ainda fez a Dança da Vassoura para se despedir do público em grande estilo.

Os jovens atores de Shadowhunters Katherine McNamara, Matthew Daddario, Dominic Sherwood, Alberto Resende e Emeraude Toubia fizeram um balanço da primeira temporada e falaram sobre expectativas para a segunda, como a personalidade e futuro de Jess e o relacionamento entre Jay e Alec. Eles comentaram também sobre a diversidade e o empoderamento feminino presentes na série, que segundo Katherine, faz os jovens se identificarem cada vez. “É um privilégio interpretar uma garota forte e empoderada, em uma série em que todas as mulheres estão na liderança”, disse.

Por fim, foi exibido o primeiro episódio da série animada, “Trollhunters”, de Guillermo del Toro.

Warner tem “Kong”, “Rei Arthur”, Annabele 2 e conteúdos da DC no cinema

O painel da Warner trouxe conteúdos diversos em mais de três horas de apresentação. Entre os destaques, o entusiasmado diretor Jordan Vogt-Roberts apresentou o trailer de Kong: Ilha da Caveira (que conta com Tom Hiddleston, Brie Larson e Samuel L. Jackson no elenco) e deu detalhes sobre a produção, que se passa no ano de 1973, em plena guerra do Vietnã – além de alimentar a esperança dos fãs de ver um filme com Kong e Godzilla juntos.

Segundo o diretor – que se confessou fã de games e animes, o que o influencia na carreira como cineasta –, o novo Kong não é um remake, mas uma visão diferente da história, com embates entre monstros, mas também focado em temas humanos. “O Kong tem seu lado humano e seu lado fera. Como todos nós em algum momento da vida, ele é mal compreendido. Ele é um monstro na jornada para descobrir qual seu papel no mundo. Tem muita coisa nesse filme que nunca vimos antes na telona”, ressaltou.

Painel Warner Bros FOTOS: Daniel Deak

Painel Warner Bros FOTOS: Daniel Deak

Em seguida, foram exibidos os trailers de alguns lançamentos do estúdio para 2017, como Rei Arthur (dirigido por Guy Ritchie), Annabelle 2 e LEGO Batman. Os conteúdos da DC no cinema também fizeram parte da apresentação, com os já divulgados trailers de Liga da Justiça e Mulher-Maravilha, além de mensagens especiais ao público da CCXP dos diretores Zack Snyder e Patty Jenkins.

Ross Marquand fala sobre como é interpretar o primeiro personagem gay de The Walking Dead

O painel apresentado por Marcelo Forlani recebeu Ross Marquand, intérprete de Aaron na série de zumbis The Walking Dead, um dos grandes sucessos da FOX. Abismado com a recepção do público, o ator disparou: “Uau! Obrigada, isso é fantástico. Eu não tinha ideia do tamanho dos fãs brasileiros”.
Seu personagem entra para o time durante a quinta temporada, quando o xerife Rick Grimes (Andrew Lincoln) e um grupo de sobreviventes lutam contra os caminhantes. Em busca de um abrigo, encontram a comunidade de Alexandria, nos arredores de Washington. Aaron é um dos recrutadores e é responsável por levá-los ao líder do local. “Quando eu soube que entraria para o elenco, li todos os quadrinhos. Em dado momento, eu quis parar, porque me apeguei tanto ao personagem, que eu não queria saber o fim dele, antes de vivê-lo”, revela Ross.

Apesar da estreia tardia na série pós-apocalíptica, ele é um dos personagens queridos e cruciais, principalmente, por ser o primeiro homem gay no universo criado por Frank Darabont e Robert Kirkman. “É uma honra fazer esse papel. Conheci muitos fãs que disseram que conseguiram assumir a sexualidade para os familiares, por conta da força que encontraram no Aaron. Isso é muito intenso e gratificante”, afirma o ator.

Ross Marquand: Walking Alive in Brazil. Auditório Cinemark. FOTOS: Daniel Deak

Ross Marquand: Walking Alive in Brazil. Auditório Cinemark. FOTOS: Daniel Deak

Aos 35 anos, Marquand é reconhecido por ser voiceover, ou seja, imitar perfeitamente vozes de diversas celebridades e tem até um canal no Youtube sobre o assunto. Na CCXP 2016, divertiu o público com as vozes de Harrison Ford, Brad Pitt, Kevin Spacey, Ewan McGregor, Matthew McConaughey, Anthony Hoskins, Robert De Niro, Marlon Brando, Al Pacino e Han Solo, quando aproveitou para dividir que sua franquia geek favorita é Star Wars. Para finalizar, Forlani pediu algo especial, um diálogo com as vozes de três atores que interpretaram o Batman no cinema: Maicon Keaton, Christopher Nolan e Ben Affleck. O resultado foi épico.

Daniel Rezende e Vladimir Brichta apresentam Bingo – O Reis das Manhãs

O conteúdo seguinte foi um dos que mais chamaram a atenção da plateia do Auditório Cinemark, quando Érico Borgo do site Omelete apresentou o mini-teaser do filme Bingo – O Reis das Manhãs e convidou o diretor estreante (e montador consagrado) Daniel Rezende e o ator Vladimir Brichta ao palco. Ele conversaram sobre o processo de produção, a preparação do roteiro, a escolha do elenco (Vladimir foi indicado por Wagner Moura, inicialmente escalado). A atriz Tainá Müller também surpreendeu o público e saiu da plateia para se juntar aos convidados.

O filme conta a história do ator Arlindo Barreto, que fez sucesso como o palhaço na TV aberta na década de 1980. “O filme revela a história de um ator que tem angústia de ser reconhecido por seu trabalho. Todo mundo se identifica com esse conflito”, ressaltou Brichta.

75 anos da Mulher-Maravilha

Os quadrinistas Brian Azzarello e Yanick Paquette subiram ao palco do painel para discutir o aniversário de um dos maiores ícones dos quadrinhos de todos os tempos, a Mulher-Maravilha – personagem que os dois lidam em seus projetos na editora, DKIII (Azzarello) e Wonder Woman Vol. 1 (Paquette).
Mediados por Marcelo Hessel, os dois autores contaram um pouco sobre sua influências para desenhar esse símbolo feminino na cultura pop mundial, sobre a importância da Mulher-Maravilha no mundo de hoje e das mudanças que a personagem sofreu (em características e significados) ao longo dos seus 75 anos. Ambos enfatizaram, porém, que não estão muito satisfeitos com o tom mais sombrio dos filmes da DC no cinema, mas que esperam uma melhoria daqui para frente – além de elogiarem a escolha da atriz Gal Gadot para viver a super-heroína nas telonas.

Jacqueline Fernandes ganhou o Concurso Cosplay como Sarah Kerrigan, de Starcraft, na CCXP 2016

O Brasil é considerado uma das maiores potências nos concursos de cosplay e hoje a atividade é uma das principais atrações na CCXP. O Cosplay Experience teve patrocínio da SyFy, foi apresentado por Kendi e Érica Suzuki e teve cinco categorias: best costume, best performance, best invent  e cosplay destaque e master cosplay que elegeu a Jacqueline Fernandes, como Sarah Kerrigan pelo conjunto da obra, com a maior premiação em um concurso do tipo da história do Brasil, até então: um automóvel Jac Motors (patrocinadora do concurso) modelo J3s 2016/2016 zero km, no valor de R$ 40.990,00.

Na etapa online 12 foram selecionados por quatro jurados e por votos públicos e a vencedora foi escolhida no último dia de evento do São Paulo Expo. Os jurados levaram em consideração figurino, apresentação, desempenho e a criatividade utilizada durante a performance. O grupo de jurados foi formado pela cosplayer internacional Yaya Han, Mari Moon, Danielle Vendevelli, Taís Yuki, Jessica Pandi, Petra Leão, Pablo Rafael, Lessio Tarso, o gerente de conteúdo da JBC e Armando Fonseca da Syfy.

Sobre a CCXP Comic Con Experience

A CCXP – Comic Con Experience, que realiza sua 3ª edição de 1 a 4 de dezembro no São Paulo Expo, acontece no Brasil nos moldes das comic cons realizadas em diversas partes do mundo, que reúne fãs e profissionais de quadrinhos, cinema, TV, games, anime, RPG, memorabilia, ficção científica e colecionáveis para conhecerem as últimas novidades dessas áreas em uma grande celebração do universo geek e da cultura pop. O evento é organizado pelo Omelete Group, Chiaroscuro Studios e Piziitoys. Informações no site: www.ccxp.com.br

 

Deixe uma resposta