Faltam 4 dias para o lançamento de um dos jogos mais aguardados do ano! Star Wars: Battlefront vem na linha de frente da lista de lançamentos de 2015, e muito hype se fez em volta do jogo. O beta público lançado pela EA em 8 de Outubro provou que o jogo estava muito maduro, só faltando dar aquela dourada na crosta antes de sair do forno. O feedback também foi ótimo, tanto que a própria DICE comentou no twitter que o modo Walker Assault estava mais tendencioso para o lado da aliança.

O jogo está lindo, a jogabilidade é boa, mas nem tudo é um mar de rosas, né? Aqui separamos 9 coisas que podiam ser implementadas, mas ainda não foram consideradas pela DICE. Vamos a elas!

TydpU1dG1f7r.878x0.Z-Z96KYq

5 – Não é permitido criar esquadrões

Pelo que vimos do jogo em sua versão beta, não será possível criar esquadrões dentro do jogo, para jogar com seus amigos de maneira única. Ex: É possível você selecionar um amigo da sua lista e se juntar ao jogo dele, porém se a sala estiver cheia, você terá que esperar um player aleatório qualquer sair para que você entre. E nem sempre vocês estarão no mesmo time.

Isso faz mais sentido no modo de Capture The Pods, visto que são times de 8×8, e seria uma bagunça legal, mas no modo Walker Assault, onde vemos 20×20, seria bem difícil você juntar 40 amigos pra jogar.

4 – É mais FPS?

Muita gente se questionou sobre o jogo ser “apenas mais um FPS”. Sim, ele é um FPS com skin de Star Wars por cima. Mas o aprofundamento, a experiência e a sensação de estar dentro do mundo criado por George Lucas prevalece. Pelo menos pra mim. Ter a oportunidade de incorporar um Stormtrooper, ou um soldado da aliança rebelde e mergulhar naquele universo vale mais do que jogar um Battlefield ou Call Of Duty online. Pra mim, não é um problema!

featuredImage2

3 – O sistema de spawn

Em Star Wars: Battlefront, é muito importante que você seja coordenado com seu grupo. Não da para ir “à moda caralha” e sair correndo que nem Han Solo no Episódio IV porque seus inimigos não são Stormtroopers, então é muito comum ver uma galera dando cobertura ao cara que está indo realizar a missão.

Isso é legal, mas o problema disso é que, se você morrer no processo, a chance de você renascer longe da onde você morreu é muito maior do que a chance de você chegar lá e a batalha ainda estar acontecendo! Acho que nesse ponto a DICE levou em consideração “as bases” de cada time.

2 – Balanceamento

Como dito lá em cima, no modo Walker Assault, a chance do Império ganhar é muito maior do que os rebeldes, dados às circunstâncias do jogo e suas regras. Aparentemente muita gente deu esse feedback pro estúdio sueco, tanto que eles disseram que estão corrigindo isso para que fique divertido para todos, e não tão tendencioso.

Não sei se sou bom, mas eu ganhei duas vezes como rebelde. :P

featuredImage

1 – Heróis

Ok, aqui é que a porra fica séria. Os heróis no jogo não são personagens selecionáveis, e sim “power-ups” que você encontra no chão e, se ele for de um herói, você pode apertar L1+R1 (LB+RB no XOne) para encarnar Luke ou Vader.

É legal você poder ter essa possibilidade, mas, pelo que joguei, não é tão legal assim. Além de ser por tempo limitado, é um pouco difícil controlá-los. As vezes que estava com Luke, eu mais matei gente com um Force Push do que com o sabre. E outra, não conseguia rebater os tiros, mas talvez isso seja ruindade mesmo!

Eu acho que seria bacana se eles fossem compráveis, por um preço bem alto, e fosse selecionável e “upável”. Ou até que você montasse seu personagem no começo, como em Destiny (Ok, não me xinguem), e aí selecionasse sua classe. Jedi, Sith, Trooper, e por assim vai…

 

E você, concorda?

Deixe uma resposta